Por que Não o Reuso de Água em Brasília?

Por: Dra. Luciana Figueras
Advogada e Consultora Ambiental
Figueras Advocacia e Consultoria

 

A Escassez Hídrica e a baixa qualidade na oferta do Recurso Água são questões de alcance Global.

 

Já se sabe que Investir em um Meio Ambiente sadio é sinônimo de investimento em Saúde Pública, pois conforme afirmam os dados do relatório da Organização Mundial de Saúde (OMS) 1,7 milhão de crianças morrem por ano devido a fatores ambientais. Alerta, ainda, que a morte de pessoas com menos de cinco anos poderiam ser evitadas através de promoção de melhores condições do ar, água de qualidade, saneamento básico e higiene (http://g1.globo.com/bemestar/noticia/17-milhao-de-criancas-morrem-por-ano-devido-a-fatores-ambientais-dizem-relatorios-da-oms.ghtml).

Na busca pela utilização eficiente da Água, Recurso que é Vida, Países da Europa e os Estados Unidos já imprimem esforços em ações de Reuso de Águas cinza, bem como outros formatos de reaproveitamento e uso eficiente da água.

Resido em Brasília e acompanho bem de perto uma Crise Hídrica sem precedentes, da mesma forma como acompanhei a Crise Hídrica no Rio de Janeiro e em São Paulo no decorrer do ano de 2014.

Sou Membro da Comissão de Direito Ambiental e Regularização Fundiária (CDARF) da OAB do Distrito Federal e da Comissão Direito Ambiental (CDA) da OAB da Barra da Tijuca. Fui designada pelo Presidente da CDARF (Dr. Juliano Nardes), e deixo aqui a minha gratidão, para acompanhar de perto todos “os movimentos” desta Crise, portanto venho “marcando ponto” em Audiências Públicas, Palestras, Seminários e Cursos que tenham essa temática como Pauta.

No dia 09 de março de 2017 estive na Audiência Pública que ocorreu na ADASA, Audiência esta que teve a finalidade de debater com a Sociedade cobrança de Multa (no valor de R$ 250,00) para o consumidor que utilizar a água tratada pela CAESB para fins “não nobres”, tais como lavar calçadas, carros, aguar plantas, entre outros fins.

Cumpre aqui fazer um “parêntese”, essa medida, que se pretende colocar em prática, não apresenta nenhuma espécie de segunda opção para Sociedade, já que até hoje Brasília não possui regulamentação para utilização de água de reuso. Isto posto, a Sociedade não terá como dar continuidade em práticas e atitudes do “dia a dia”, bem como o algumas áreas do comércio, tais como Lava Jato, como poderão continuar a funcionar?

Neste mesmo dia (09/03/2017) fiz uma intervenção e questionei o Diretor da Agência Reguladora de Águas (Adasa) José Walter Vazquez, por que não investir em Reuso de água, e a resposta foi que “o Diretor se considera cético a utilização de água cinza por considerar esse uso arriscado”. Esse debate foi divulgado em diversas mídias sociais, tais como o G1 (https://lnkd.in/gdWXUXA).

Já no dia 10 de março de 2017 participei da Reunião do Conselho de Recursos Hídricos, no Palácio do Buriti, que tinha a principal finalidade de Apresentar o Plano de Enfrentamento da Crise Hídrica no Distrito Federal, Plano esse que não inclui a regulamentação do reuso de água em seu escopo.

Na oportunidade realizei intervenção com o mesmo questionamento: “Por que não investir em Reuso”

Nesse dia o meu questionamento foi direcionado para o Presidente da ADASA (Paulo Salles) e para o Presidente da CAESB (Maurício Luduvice) e as respostas foram “harmônicas” sobre a inviabilidade do reuso pelo “risco” de contaminação da água ofertada pela Companhia de Água e Esgoto de Brasília.

 

Então “Pessoal” …. Vamos lá:

 

Tem alguma coisa muito errada, pois os riscos existem em todas as atividades humanas, por isso existem Técnicos, Engenheiros e Profissionais habilitados para garantir a eficiência do reuso na possibilidade de sua regulamentação e entrada em operação para o bem da Coletividade.

Se assim não fosse, meus Caros, países do primeiro mundo não adotariam o reuso como prática e a melhor forma de economia e preservação da água, bem como países de renda alta não tratariam cerca de 70% das águas residuais industriais e urbanas que produzem.

Na minha singela opinião as Novas Edificações, bem como as Empresas já deveriam tratar e operar exclusivamente com água de reuso dentro da viabilidade legal.

Grandes Empresas pelo Mundo são a prova que o reuso é o caminho e, nesse artigo, dou o belíssimo exemplo da Empresa Ford que reduz o seu consumo em 49 milhões de litros adotando tecnologias de economia de água (https://www.tratamentodeagua.com.br/tecnologias-de-economia-de-agua-da-ford-reduzem-o-consumo-em-49-milhoes-de-litros/).

São diversas as posturas políticas, regulamentares e legais que podem ser adotadas para o fomento do reuso Urbano e industrial.

Aqui listo uma série de leis em vigor em são Paulo (considero o Estado Brasileiro que se encontra na vanguarda em medidas de eficiência hídrica), que possuem exatamente a finalidade de fomentar práticas sustentáveis, incluindo o uso racional da água.

Lei nº 16.172, de 17 de abril de 2015 que proíbe a lavagem de calçadas com água tratada ou potável e fornecida por meio da rede da Sabesp que abastece o Município de São Paulo, e dá outras providências.

Lei nº 16.174, de 22 de abril de 2015 que estabelece regramento e medidas para fomento ao reuso de água para aplicações não potáveis, oriundas do polimento do efluente final do tratamento de esgoto, de recuperação de água de chuvas.

Fomento Público com Incentivos Tributários as Construções e Certificações Sustentáveis que primam por medidas de Eficiência Hídrica nos seus Projetos, desde a origem, conforme as Legislações vigentes em São Paulo, tais como a Lei nº 16.402, de 22 de março de 2016 que concede Incentivo de Certificação e o Decreto nº 57.565, de 27 de dezembro de 2016 que Regulamenta procedimentos para a aplicação da Quota Ambiental, nos termos da Lei nº 16.402, de 22 de março de 2016.

Resta flagrante que São Paulo aprendeu com a dor e vem fazendo sua “tarefa de casa” com louvor.

Veja como a tecnologia está a nosso favor e como podemos fazer diferente:

Com a ampliação da ETE Mário Araldo Candello, em Indaiatuba/SP a previsão é de que o Município irá tratar 100% de todo o esgoto coletado na área urbana da cidade, e o rio Jundiaí irá receber de volta, uma água com muito mais qualidade (https://www.tratamentodeagua.com.br/ampliacao-de-ete-em-indaiatubasp-permitira-o-municipio-tratar-100-esgoto/).

Esse é o caminho de toda nação que pretende garantir Água de qualidade para Sociedade.

Finalizo aqui o meu artigo e deixo novamente o meu questionamento:

“Por que não investir em reuso BSB?”

 

Doutora Luciana Figueras

Advogada e Consultora Ambiental

Figueras Advocacia e Consultoria

https://www.linkedin.com/in/luciana-figueras-53a1a6102/

Anúncios

Controle de Consumo de Água e Energia Elétrica

Controle de Consumo de Água e Energia Elétrica

 

agua

 

Uma atividade trivial e que hoje ainda não é adotada na maioria dos condomínios é a realização de leitura diária de consumo da água e de energia elétrica.

Esse procedimento garante que em caso de um vazamento de água ou fuga de energia, que possamos identificar imediatamente a anomalia e tratar a causa.

Sem esse controle simples que pode ser feito pelo porteiro ou zelador, corremos o risco de descobrir o problema somente quando chegar a conta, o que pode demorar e acarretar prejuízos absurdos, além do desperdício de recursos naturais.

Lembre-se que a leitura deve ser feita sempre no mesmo horário e anotada em papel ou planilha, com verificação e análise diária da variação de consumo.

Existe hoje um sistema on-line experimental que traz essa funcionalidade e nos próximos dias será capaz de gerar alertas automáticos em caso de consumos fora da média histórica, a fim de avisar qualquer indício de anomalia e desperdício.

Esse sistema é o CONDOMÍNIO SIMPLES, que além dessa funcionalidade pode ajudar seu condomínio a manter os cadastros de moradores, dentre outras coisas legais.

 

condsimples

 

Fica a dica e vamos economizar!

Crowdfunding – Padaria na Sua Casa

Crowdfunding – Padaria na Sua Casa

Saúde e Consumo Consciente, desenvolvimento de projetos locais e redução de emissões de carbono levando a produção para perto dos pólos consumidores, sobretudo nos grandes condomínios residenciais, também é SUSTENTABILIDADE e apoiaremos todos projetos que tenham essas premissas.

A Padaria na sua Casa é uma dessas grandes ideias, sustentável e saudável, que precisa de sua ajuda e a qual temos alegria de divulgar.

http://www.kickante.com.br/campanhas/apoie-criacao-da-padaria-na-sua-casa

paes_artesanais.jpg

Segue texto de João Villalva, idealizador do projeto:

Historicamente as crises são os maiores incentivos às inovações, criação de formas alternativas de negócio, visões diferentes e produtivas.

Quando duas pessoas encaram a idade em que o ‘mercado’ acha alta e aquela estranha qualificação excessiva, diminuído o acesso a empregos, encontrar uma saída em negócios parece o único caminho viável, mas no mercado atual, somente as saídas inovadoras e que tragam alta satisfação do cliente são as que tem real chance de sucesso.

Criar um negócio envolve, ideia, invocação, comprometimento e energia que acreditamos que Zilda e João tem de sobra, mas não todos os recursos financeiros necessários.

A essência do Projeto é a criação de uma Padaria ‘volante’ que se instala semanalmente em condomínios e leva pães e massas artesanais, feitos com matérias primas de primeira qualidade, incluindo orgânicos, sem glúten e de vários tipos e sabores, além de patês e molhos, doces requintados como sobremesas em potes e Brigadeiros Gourmet, como o de Maçã Verde, Damasco e outros.

Como confiamos muito em nosso projeto e vemos na modernidade e em conceitos como a economia colaborativa como caminhos sem volta, estamos trabalhando muito forte para viabilizar um nosso novo negócio, e para captar os recursos necessários criamos uma campanha de Financiamento Coletivo (ou “Crowdfunding”) e queremos pedir o apoio de tantos quantos puderem na divulgação da nossa campanha entre todos os seus contatos em redes sociais, na sua família, no seu ambiente de trabalho, como também contribuindo com recursos, chamados pela plataforma de Kickadores, na medida do possível.

A campanha está sendo feita através da plataforma Kickante, onde todas as pessoas terão todas as informações já a partir de hoje e poderão fazer contribuições (chamadas de Kickadas) que juntas devem atingir a meta que cuidadosamente orçamos para fazer o projeto ser concretizado e inaugurarmos em cerca de 90 dias a “Padaria na Sua Casa”.

Como todo projeto de Crowdfunding estão previstas Recompensas para os Kickadores e todas elas trarão nossa imensa gratidão e mostrarão quem está e estará ao nosso lado em prováveis novas fases, uma vez consolidada a “Padaria” quando buscaremos sócios ou parceiros. Mas tudo a seu tempo. Hoje queremos trazer para você nosso pedido de participar com sua Kickada (que está bem explicada como pode ser feita, que se preferir poderá ser até em parcelas mensais), mas também é de extrema importância que nos apoie divulgando o link da campanha, que é o seguinte:

http://www.kickante.com.br/campanhas/apoie-criacao-da-padaria-na-sua-casa

Se alguém que gostar do modelo de negócio, residir em condomínio vertical ou horizontal com mais de 100 unidades e acreditar – de preferência na Zona Leste de São Paulo, porém analisaremos propostas em toda a cidade –  por favor nos informe pois estamos desenhando o modelo de parceria de indicação e operação, para implantação depois do período inicial e após os primeiros meses.

Contato: João Villalva jjvillalva@gmail.com

A Sustentabilidade e o Circo

A Sustentabilidade e o Circo

image description

 

Na verdade podemos ser sustentáveis em qualquer meio em que estivermos inseridos, ontem foi o dia em que tive o prazer de palestrar para 40 alunos, professores e diretores da Escola Nacional de Circo.

Dando um enfoque fora do comum, assim como abordo a sustentabilidade nos condomínios, tentei mostrar aos alunos a importância da sustentabilidade, como fazem parte de um todo, seu papel influenciador e agentes do compartilhamento de conhecimento.

Mais do que isso, foi apresentado modelos e meios práticos de reduzir consumo e emissões com base em processos, procedimentos, cálculo de consumo, noções de eficiência energética e principalmente nas formas de aquisição de equipamentos, que por sua caraterística itinerante demanda novas soluções e muita criatividade.

 

circo

 

É claro que o básico também foi abordado como a criação da horta orgânica, coleta seletiva, reciclagem e reaproveitamento, assim como a importância de maior engajamento do poder público no incentivo a adoção de políticas de inclusão.

A apresentação contou com grande participação de todos o que transformou a palestra em um verdadeiro debate, com apresentação de dúvidas, ideias e sugestões que esperamos possam se transformar em iniciativas promissoras.

Termino esse post agradecendo a responsável pelo projeto de cidadania da Escola Nacional de Circo, a Sra. Liriana Carneiro pelo convite e me coloco sempre a disposição para ajudar as iniciativas a sairem do papel pois, afinal de contas, palavras influenciam mas são as ações que mudam o mundo.

Renato Moreno Munhoz

renato@condominiosimples.com.br

O Alcance de Nossas Ações

O Alcance de Nossas Ações

coleta-de-lixo-comeca-a-ser-normalizada

Os impactos que geramos com o nosso lixo não se referem somente aos aterros e lixões. Não nos damos conta que esse material precisa chegar lá de alguma maneira, e isso é feito por caminhões, movidos a diesel e altamente poluentes.

Não vamos nem entrar no mérito de que as empresas de coleta fazem grandes lobbies e ganham fortunas das prefeituras, alguns aterros são privados e ganham por volumes recebidos.

Por que isso acontece?

Por que geramos cada vez mais lixo, esse material em alguns municípios é enviado a mais de 200 km de distância, gerando impacto dobrado.

O que podemos fazer?

O mínimo: comprar produtos que utilizem menos embalagens, gerar menos lixo e principalmente, destinar menos lixo a coleta pública, separando o material para a coleta seletiva e realizando a compostagem do material orgânico. É bem mais simples do que acreditamos e existe muita informação na internet.

O que falta para começar??

Apenas vontade!

http://www.agora.uol.com.br/saopaulo/2015/09/1687334-lixo-de-cidades-paulistas-viaja-ate-224-km-ate-aterro.shtml

 

Renato Munhoz – renato@condominiosimples.com.br

21-99432-2321

Síndico Sustentável?

Síndico Sustentável?

Vemos que a grande preocupação da maioria dos síndicos é o controle da previsão orçamentária e obrigações legais, porém acreditamos que ser síndico é muito mais do que isso, envolve características de relacionamento interpessoal e novas questões, como a eficiência energética, saúde, bem-estar e principalmente a sustentabilidade.

Uma parceria entre a RJV Serviços e a Universidade FM está trazendo ao Rio de Janeiro um curso de formação e reciclagem de SÍNDICOS profissionais e condôminos, com duração de 32 horas e início em outubro de 2015.

O curso será ministrado por especialistas renomados na área e além da abordagem teórica, enfatizará soluções práticas e ações comportamentais, gestão de conflitos e outros.

Será um curso prático e dinâmico, com apresentações de casos reais e soluções, estimulando a capacidade do aluno em atuar em situações atípicas e emergenciais, inclusive aquilo que extrapola a alçada do síndico.

Informações pelo e-mail atendimento@rjvservicos.com.br

Equipamento compacto para economizar água do chuveiro será vendido por R$ 29

Equipamento compacto para economizar água do chuveiro será vendido por R$ 29

 

aguawell_features_2-1024x630

 

Sempre foi um ponto de atenção desse blog as grandes perdas de água enquanto o chuveiro a gás aquece, a depender da distância no aquecedor, de 6 a 10 litros de água limpa e potável vão literalmente pelo ralo.

 

Eis que hoje me deparei com uma solução absolutamente simples e que resolve esse problema, um simples reservatório de água, em posts passados até dei sugestões, como o uso de baldes, mas uma solução que pode incorrer em outros problemas.

 

Trata-se do Aguawell, desenvolvido no Brasil, muito prático e acima de tudo, viável financeiramente e pode ser usado por qualquer pessoa.

 

O desenvolvimento do produto tem um custo e por isso seus desenvolvedores abriram uma linha de financiamento colaborativo, também conhecido como crowdfunding a fim de levantar os recursos necessários, avaliados em R$ 60.000,00.

 

O prazo é curto, só mais 22 dias!

 

http://www.kickante.com.br/campanhas/aguawell-light

 

Quem ajudar terá direito a ser um dos primeiros a receber o produto, caso não alcancem a meta, o dinheiro dos colaboradores será devolvido.

 

Pelos meus cálculos, em um condomínio como o meu, de 96 unidades, média de 3 habitantes e um banho por dia, são 18 litros economizados, ou 1.728 litros por dia, 51.840 litros por mês, equivalente a 51,8 metros cúbicos, suficiente para encher 2 vezes a piscina ou suprir um dia inteiro de consumo.

 

Renato Moreno Munhoz

renato@condominiosimples.com.br

%d blogueiros gostam disto: