Nossa “política” de transportes urbanos

Nossa “política” de transportes urbanos

Como sempre nesse país a política de transporte tem beneficiado alguns grupos, e certamente não é o grupo de cidadãos que precisam se locomover pela cidade.

A priorização do transporte individual ao coletivo, com investimentos pífios  em soluções definitivas como trens e metrôs, transformou as ruas em pesadelos para motoristas e para quem depende de ônibus.

Opções são muitas, mas não basta incentivar o uso de bicicleta e meios de transporte em massa, tem que aumentar a quantidade e qualidade das ciclovias, aumentar consideravelmente a malha ferroviária e melhorar as condições dos trens metropolitanos em todo o país.

Ao invés disso, o governo abdica de impostos, que poderiam ser empregados com essas finalidades e para aqueles que nem com a redução do IPI podem comprar um carro, o resultado não poderia ser outro:

1. São despejados 300.000 carros novos nas ruas por mês.

2. Dos 5.500 municípios , podemos eliminar 2.500 que são deficitários. Podemos então inferir que os 3000 municípios restantes , EM MÉDIA SIMPLES , sem considerar população e renda per capita de cada um , recebem 100 veículos novos por mês .

3. Isto significa uma área de ruas , estacionamentos etc. de 1.250 m2 / mês , espaço necessário para acomodar os veículos vendidos.

Este aumento não foi verificado nas vias e estacionamentos.

O final é simples e triste : TODOS ENGARRAFADOS , ISTO É , TODOS TRABALHANDO COM PRODUTIVIDADE = A ZERO.

Bom, como todos podem verificar, sou o maior defensor do meio ambiente, mas não bastam plantar árvores, proteger a Amazônia, tem que se pensar em soluções amplas, que beneficiem também os habitantes das grandes cidades, para que esses também possam sentir a diferença, e não somente saber aquilo que leem no jornal.

Usem menos o carro, deem preferencia às caminhadas, bicicleta, fazer as compras próximo de casa com uso de carrinhos e ecobags. Se não fazem a parte deles, fazemos a nossa, o que não dá é justificar um erro com outro erro.

Dados enviados pelo colega João Marandino

***************************************

Renato Munhoz – 21-9432-2321

www.twitter.com/c_sustentaveis

https://condominiossustentaveis.wordpress.com

Anúncios

One response to this post.

  1. Posted by Domenico on 06/21/2012 at 20:22

    O carro é o novo vilão da humanidade.
    Mata mais que muitas guerras e faz-nos sentirmos impotentes nos engarrafamentos, tiranizando a vida também dos que dependem do transporte público. Aliás, só falta ocuparem de vez as calçadas também.
    E os brasileiros, ao invés de protestarem, se individam pra comprar uma coisa que certamente em pouco tempo não poderão usar pelo menos nas grandes metrópoles.
    Não vejo a hora de proibirem os comerciais de bebida a tarde e darem um breque nas indústrias automobilísticas.
    Caso contrário o colapso é certo!
    E a TV não diz nada sobre isso, apenas alieniza as pessoas.
    Ela dirá quando for conveniente pra ela e seus patrocinadores e tarde demais pra maioria das pessoas.

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: