Archive for the ‘Energia Elétrica’ Category

Controle de Consumo de Água e Energia Elétrica

Controle de Consumo de Água e Energia Elétrica

 

agua

 

Uma atividade trivial e que hoje ainda não é adotada na maioria dos condomínios é a realização de leitura diária de consumo da água e de energia elétrica.

Esse procedimento garante que em caso de um vazamento de água ou fuga de energia, que possamos identificar imediatamente a anomalia e tratar a causa.

Sem esse controle simples que pode ser feito pelo porteiro ou zelador, corremos o risco de descobrir o problema somente quando chegar a conta, o que pode demorar e acarretar prejuízos absurdos, além do desperdício de recursos naturais.

Lembre-se que a leitura deve ser feita sempre no mesmo horário e anotada em papel ou planilha, com verificação e análise diária da variação de consumo.

Existe hoje um sistema on-line experimental que traz essa funcionalidade e nos próximos dias será capaz de gerar alertas automáticos em caso de consumos fora da média histórica, a fim de avisar qualquer indício de anomalia e desperdício.

Esse sistema é o CONDOMÍNIO SIMPLES, que além dessa funcionalidade pode ajudar seu condomínio a manter os cadastros de moradores, dentre outras coisas legais.

 

condsimples

 

Fica a dica e vamos economizar!

Anúncios

Redução de energia no condomínio em mais de 70%

Podemos reduzir o consumo de energia no condomínio em mais de 70%

foto

No último dia 21 de agosto foi o Dia da Habitação, dia em que todos os anos o Secovi Rio promove um grande evento para os síndicos. Esse ano o evento foi focado na sustentabilidade.

Fiquei imensamente feliz com a oportuna escolha do tema, nesse dia também houve o lançamento oficial do Blog Condomínios Verdes, iniciativa do Secovi Rio para difundir as boas práticas verdes para os condomínios residenciais.

Felicidade maior foi ter sido convidado para ser um dos palestrantes do dia, podendo mostrar uma parte de todas as ações tomadas com a intenção de reduzir o consumo de energia, o qual apresentei um caso real onde com ações simples a redução de energia foi de aproximadamente 70%, gerando economia anual de mais de R$ 60.000,00.

Medidas simples podem tornar o seu condomínio mais eficiente sem com isso reduzir os níveis de segurança e conforto dos moradores.

Segue link para download da apresentação: Dia da Habitação SECOVI redução custos

Essa e outras informações você encontra no Blog Condomínios Sustentáveis, canal de comunicação que mantenho desde 2011 como forma a difundir informações práticas para redução de consumo de água, energia elétrica, manutenções, coleta seletiva etc.

Renato Moreno Munhoz

21-7932-1878

renato@condominiosimples.com.br

Dia Mundial do Meio Ambiente

Dia Mundial do Meio Ambiente

 

Essa é uma data que serve mais para a reflexão do que para comemoração, estamos revertendo o processo que levou a tona toda essa discussão? Ou ainda soa tudo como modismo e que nossa missão é  simplesmente jogar nosso lixo na lixeira colorida correta?

Está na hora de incorporarmos no nosso dia-a-dia atitudes que realmente façam a diferença, e não somente uma meia dúzia de cidadãos, mas a grande massa. Parece que o que fazemos é pouco e muitas vezes deixamos de fazer pelo mínimo impacto aparente, mas sensíveis quando somados aos milhões de domicílios com as mesmas atitudes.

Cada quilowatt economizado, seja por um banho de 1 minuto a menos, um carregador de celular retirado da tomada, uma lâmpada apagada, reflete em centavos de economia individual, porém se multiplicados, poderíamos poupar o despejo dos índios de Belo Monte, desativar as usinas nucleares e ainda evitar a necessidade de ativar as termelétricas, caras e poluentes.

O mesmo se aplica ao lixo gerado e ao desperdício, estudos dizem que as famílias brasileiras desperdiçam aproximadamente 20% dos alimentos comprados, isso não significa somente que muitas pessoas poderiam ser alimentadas, mas também que foram necessários 20% mais caminhões para transportá-los, gerando engarrafamentos, 20% a mais de poluição, 20% a mais de consumo de derivados de petróleo e o produto possivelmente 20% mais caro.

Precisamos ter uma visão abrangente e entender que qualquer pequeno gesto, quando adotado pelo coletivo, gerará resultados surpreendentes.

Eu sou um grande defensor de que o Estado deve tomar ações mais rígidas em relação geral ao Meio Ambiente, com leis e incentivos fiscais para a manutenção de áreas verdes, margens de rios, coleta seletiva, controle de emissões de poluentes no ar e água, políticas inclusivas de valorização de cooperativas e catadores e principalmente nos prédios, condomínios residenciais e comerciais, onde os ganhos serão realmente expressivos.

Hoje a Comlurb anunciou que aumentará a coleta de materiais recicláveis no Rio de Janeiro para 5% com a inclusão de novos caminhões, mas será que existe infraestrutura para realizar a separação desse material? E também que pretende chegar a 25% até 2016. Medida louvável, mas difícil de acreditar que esses números sejam alcançados de forma plena, garantindo a destinação correta e reaproveitamento de todo esse material. Também não ficou claro se nessa conta entram as ações das cooperativas e catadores. Agora é esperar para ver…

Cada um de nós pode ajudar, fale com o seu síndico, seu vizinho, seu amigo, crie comissões de sustentabilidade no seu condomínio, rua ou bairro. As informações que temos já são mais do que suficientes, basta vontade e arregaçar as mangas. 

Tem uma ação em andamento em sua comunidade? O Blog Condomínios Sustentáveis terá o prazer de divulgar as iniciativas e estimular a adesão de mais e mais pessoas à nossa causa.

Feliz Dia do Meio Ambiente!

Renato Munhoz

renato@condominiosimples.com.br

 

 

Ser Sustentável, como começar?

Ser Sustentável, como começar?

 

 

Muitos síndicos se perguntam? Como posso começar a realizar ações de sustentabilidade no meu condomínio? Não tenho conhecimento técnico, o orçamento é apertado, o que posso fazer?

Talvez o começo seja um pouco mais fácil ou mais difícil para alguns, a depender de verba e outras características do prédio, mas não vamos desanimar, independente de qualquer situação, sempre é possível implementar algumas ações de sustentabilidade, sejam em maior ou menor graus.

Existem medidas que dependem dos moradores, algumas que só dependem de boa vontade e outras que precisa de um pouco de esforço mútuo.

Lembre-se que toda mudança de hábito só é possível com bons exemplos e honestidade, ou seja, faça sempre o que prometeu fazer e mostre os resultados.

 

O que é mais fácil e pode começar já?!

  • Troca das torneiras e válvulas de descarga dos banheiros das áreas comuns. Depende só do síndico.
  • Instalação de sensores de presença e troca das lâmpadas incandescentes por eletrônicas. Depende só do síndico.
  • Coleta seletiva. Depende de apoio dos moradores na separação dos materiais, o papel do síndico é garantir que o material separado tenha a destinação prometida, seja ela o catador, a cooperativa ou a venda.

 

A sugestão é começar de forma simples, se falta espaço para armazenar o material reciclável, faça inicialmente somente a coleta de latinhas, óleo e jornais, divulgue as conquistas em comunicados internos, a tendencia é crescer muito a adesão de moradores.

Além disso, outras ações podem ser tomadas, como desligar as lâmpadas que não estão em uso, fazer a revisão periódica dos painéis elétricos, evitar desperdícios de água na limpeza de cisternas, economizar material de limpeza, inspeção de vazamentos de água em apartamentos e áreas comuns etc.

Bom síndicos, mãos a obra, vamos fazer acontecer!

 

Renato Moreno Munhoz

renato@condominiosimples.com.br

Sociedade de Consumo

Sociedade de Consumo

Nunca os apelos de consumo foram tão explícitos como hoje, o padrão de vida americano e europeu tem invadido os países emergentes, muito produtor para pouco mercado, eis o motivo da necessidade de expandir mercados e tentar criar demandas até pouco tempo inexistentes.

Não somos mais capazes de viver sem celular, sem computador, sem o tênis de marca, e mesmo assim ele estará obsoleto em poucos meses e quem vai querer ficar para trás? Ter um produto ultrapassado enquanto todos os seus amigos têm aquele que acabou de ser lançado.

Estamos nos tornando escravos de um estilo de vida insustentável, de consumo exagerado por produtos que nos dizem que precisamos, e o pior, na maioria das vezes acreditamos nisso.

Há alguns anos nossos filhos não precisavam mais do que uma Conga ou Kixute, brincadeiras de rua, pipa e pião; hoje é o tênis de marca, tablet, celular, agenda, Galinha Pintadinha… Será que estamos nos tornando mais felizes na medida que compramos mais? Temos mais ao tempo que nos empobrecemos, financeiramente e espiritualmente.

Recentes pesquisas comprovam, o nível de felicidade dos países mais ricos e consumistas não é maior do que dos países pobres e emergentes, mostrando não haver relação direta entre consumo e felicidade.

A verdade é que o nosso consumo é somente mais uma tentativa de preencher vazios interiores, alguns bebem, outros acham que uma conta bancária recheada trará a almejada felicidade, outros em ter carros, fazer viagens, estabilidade no emprego etc. No final, quando alcançaram seu objetivo material, percebem que se sentem exatamente como antes, humanos.

Eu, particularmente, não sou uma pessoa que prega o total desprendimento dos bens materiais, abdicar das nossas conquistas, nossos confortos, eu tenho meu tablet, meu celular, meu carro, porém acredito que existe um limite e um equilíbrio entre o desejo doentio e a necessidade real.

Vamos nos lembrar que para satisfazer nossos desejos, sempre há alguém que ganha e quem perde. Quem ganha? As grandes empresas do primeiro mundo e os governos dos países com mão-de-obra barata. E quem Perde? A mão-de-obra barata, o meio ambiente (extração indiscriminada de matérias primas, matriz energética a base de carvão, emissões de CO2, uso da água para fins não nobres, poluição do solo e água, geração exagerada de resíduos), Eu e Você, que nunca teremos o “último” modelo por mais do que alguns meses.

O texto é curtinho, serve apenas de reflexão, de que lado você está? Da consciência, do usurpador ou do manipulado? Não se sinta infeliz por se sentir manipulado ou por não ter, busque dentro de si o que lhe preencha o vazio que sente e seja plenamente feliz!

Renato Moreno Munhoz

renato@condominiosimples.com.br

Os Condomínios e o Racionamento de Energia Elétrica

Os Condomínios e o Racionamento de Energia Elétrica

 

carvão

 

Vendo sendo comentado na mídia nos últimos dias o risco que a falta de chuvas pode causar ao sistema elétrico, quando não chove, as usinas hidrelétricas ficam sem seu principal insumo, a água.

Parece um circulo vicioso, a falta de água obriga o governo a ativar as usinas térmicas para suprir as necessidades de energia elétrica das residências e empresas. O uso nas usinas térmicas, além de muito mais caro, emite gases do efeito estufa e geram além de energia, calor. Todos esses elementos contribuem para o aquecimento do planeta e consequentemente as mudanças climáticas, mais calor, menos chuvas etc. Voltando ao ponto inicial, onde o remédio pode estragar mais do que a doença.

E onde estamos nessa história? Somos os grandes consumidores de energia, não digo que devemos abdicar das conquistas modernas, ar condicionado, geladeira, iluminação, diversão, mas sim que utilizemos os recursos com eficiência.

Já foram postados aqui vários artigos sobre formas de se reduzir o consumo sem abrir mão do benefício, mudanças de procedimento, substituição de equipamentos por outros que consomem menos energia, desligar o que não está sendo utilizado e não superdimensionar as necessidades são apenas alguns exemplos.

O uso racional de energia não vai somente evitar um iminente racionamento, mas evitar a necessidade de mais usinas térmicas, evitar a necessidade por mais hidrelétricas, isso significa menos uso de gás, carvão, menos emissões de CO2, menos áreas alagadas, menos desmatamento, menos indígenas desapropriados.

Uma lâmpada ao ser apagada pode parecer algo insignificante se comparado ao universo de lâmpadas, mas um milhão de lâmpadas apagadas começam a fazer a diferença, faça você a diferença!

**********************************************

Renato Munhoz

21-9432-2321

sindicoeasyway@gmail.com

www.sindicoprofissionalrj.wordpress.com

Telhados verdes ou Ecotelhados

Telhados verdes ou Ecotelhados

telhado-verde-5-375x290

 

Acredito que os telhados verdes começarão a salpicar pelas cidades, não só pela beleza mas também por seus muitos benefícios.

Sobre os nossos telhados podemos fazer o cultivo de diversas hortaliças e de quebra reduzir a temperatura interna do edifício em média em 5 graus pela absorção e reflexão de luz e calor, aumentar a absorção de água, a filtrando e a retendo, reduzindo nossa exposição às enchentes.

Também percebemos redução das ilhas de calor, aumento da biodiversidade e a redução da emissão de carbono e com isso reduzindo o efeito estufa.

Benefícios

  • Redução da necessidade de ar condicionado e aquecedores (conta de energia elétrica menor).
  • Produção própria de ervas e hortaliças.
  • Redução da temperatura no verão e aquecimento no inverno.
  • Equilibrio da umidade do ar

Alguns municípios partiram na frente e estão criando os seus selos verdes para edifícios sustentáveis, o telhado verde é um dos itens abordados por alguns, e em contrapartida oferecem a redução de impostos e tributos, como o IPTU.

A moda vai pegar? Esperamos que sim! Depende somente de nós mesmos, é claro que com um certo incentivo é muito melhor, mas o que não dá é para esperar de braços cruzados alguma ação dos nossos competentes governantes.

*******************************************************

Renato Moreno Munhoz 21-9432-2321

 sindicoeasyway@gmail.com

http://www.twitter.com/c_sustentaveis

%d blogueiros gostam disto: