Posts Tagged ‘Energia elétrica’

Controle de Consumo de Água e Energia Elétrica

Controle de Consumo de Água e Energia Elétrica

 

agua

 

Uma atividade trivial e que hoje ainda não é adotada na maioria dos condomínios é a realização de leitura diária de consumo da água e de energia elétrica.

Esse procedimento garante que em caso de um vazamento de água ou fuga de energia, que possamos identificar imediatamente a anomalia e tratar a causa.

Sem esse controle simples que pode ser feito pelo porteiro ou zelador, corremos o risco de descobrir o problema somente quando chegar a conta, o que pode demorar e acarretar prejuízos absurdos, além do desperdício de recursos naturais.

Lembre-se que a leitura deve ser feita sempre no mesmo horário e anotada em papel ou planilha, com verificação e análise diária da variação de consumo.

Existe hoje um sistema on-line experimental que traz essa funcionalidade e nos próximos dias será capaz de gerar alertas automáticos em caso de consumos fora da média histórica, a fim de avisar qualquer indício de anomalia e desperdício.

Esse sistema é o CONDOMÍNIO SIMPLES, que além dessa funcionalidade pode ajudar seu condomínio a manter os cadastros de moradores, dentre outras coisas legais.

 

condsimples

 

Fica a dica e vamos economizar!

Anúncios

Dia Mundial do Meio Ambiente

Dia Mundial do Meio Ambiente

 

Essa é uma data que serve mais para a reflexão do que para comemoração, estamos revertendo o processo que levou a tona toda essa discussão? Ou ainda soa tudo como modismo e que nossa missão é  simplesmente jogar nosso lixo na lixeira colorida correta?

Está na hora de incorporarmos no nosso dia-a-dia atitudes que realmente façam a diferença, e não somente uma meia dúzia de cidadãos, mas a grande massa. Parece que o que fazemos é pouco e muitas vezes deixamos de fazer pelo mínimo impacto aparente, mas sensíveis quando somados aos milhões de domicílios com as mesmas atitudes.

Cada quilowatt economizado, seja por um banho de 1 minuto a menos, um carregador de celular retirado da tomada, uma lâmpada apagada, reflete em centavos de economia individual, porém se multiplicados, poderíamos poupar o despejo dos índios de Belo Monte, desativar as usinas nucleares e ainda evitar a necessidade de ativar as termelétricas, caras e poluentes.

O mesmo se aplica ao lixo gerado e ao desperdício, estudos dizem que as famílias brasileiras desperdiçam aproximadamente 20% dos alimentos comprados, isso não significa somente que muitas pessoas poderiam ser alimentadas, mas também que foram necessários 20% mais caminhões para transportá-los, gerando engarrafamentos, 20% a mais de poluição, 20% a mais de consumo de derivados de petróleo e o produto possivelmente 20% mais caro.

Precisamos ter uma visão abrangente e entender que qualquer pequeno gesto, quando adotado pelo coletivo, gerará resultados surpreendentes.

Eu sou um grande defensor de que o Estado deve tomar ações mais rígidas em relação geral ao Meio Ambiente, com leis e incentivos fiscais para a manutenção de áreas verdes, margens de rios, coleta seletiva, controle de emissões de poluentes no ar e água, políticas inclusivas de valorização de cooperativas e catadores e principalmente nos prédios, condomínios residenciais e comerciais, onde os ganhos serão realmente expressivos.

Hoje a Comlurb anunciou que aumentará a coleta de materiais recicláveis no Rio de Janeiro para 5% com a inclusão de novos caminhões, mas será que existe infraestrutura para realizar a separação desse material? E também que pretende chegar a 25% até 2016. Medida louvável, mas difícil de acreditar que esses números sejam alcançados de forma plena, garantindo a destinação correta e reaproveitamento de todo esse material. Também não ficou claro se nessa conta entram as ações das cooperativas e catadores. Agora é esperar para ver…

Cada um de nós pode ajudar, fale com o seu síndico, seu vizinho, seu amigo, crie comissões de sustentabilidade no seu condomínio, rua ou bairro. As informações que temos já são mais do que suficientes, basta vontade e arregaçar as mangas. 

Tem uma ação em andamento em sua comunidade? O Blog Condomínios Sustentáveis terá o prazer de divulgar as iniciativas e estimular a adesão de mais e mais pessoas à nossa causa.

Feliz Dia do Meio Ambiente!

Renato Munhoz

renato@condominiosimples.com.br

 

 

Ser Sustentável, como começar?

Ser Sustentável, como começar?

 

 

Muitos síndicos se perguntam? Como posso começar a realizar ações de sustentabilidade no meu condomínio? Não tenho conhecimento técnico, o orçamento é apertado, o que posso fazer?

Talvez o começo seja um pouco mais fácil ou mais difícil para alguns, a depender de verba e outras características do prédio, mas não vamos desanimar, independente de qualquer situação, sempre é possível implementar algumas ações de sustentabilidade, sejam em maior ou menor graus.

Existem medidas que dependem dos moradores, algumas que só dependem de boa vontade e outras que precisa de um pouco de esforço mútuo.

Lembre-se que toda mudança de hábito só é possível com bons exemplos e honestidade, ou seja, faça sempre o que prometeu fazer e mostre os resultados.

 

O que é mais fácil e pode começar já?!

  • Troca das torneiras e válvulas de descarga dos banheiros das áreas comuns. Depende só do síndico.
  • Instalação de sensores de presença e troca das lâmpadas incandescentes por eletrônicas. Depende só do síndico.
  • Coleta seletiva. Depende de apoio dos moradores na separação dos materiais, o papel do síndico é garantir que o material separado tenha a destinação prometida, seja ela o catador, a cooperativa ou a venda.

 

A sugestão é começar de forma simples, se falta espaço para armazenar o material reciclável, faça inicialmente somente a coleta de latinhas, óleo e jornais, divulgue as conquistas em comunicados internos, a tendencia é crescer muito a adesão de moradores.

Além disso, outras ações podem ser tomadas, como desligar as lâmpadas que não estão em uso, fazer a revisão periódica dos painéis elétricos, evitar desperdícios de água na limpeza de cisternas, economizar material de limpeza, inspeção de vazamentos de água em apartamentos e áreas comuns etc.

Bom síndicos, mãos a obra, vamos fazer acontecer!

 

Renato Moreno Munhoz

renato@condominiosimples.com.br

Os Condomínios e o Racionamento de Energia Elétrica

Os Condomínios e o Racionamento de Energia Elétrica

 

carvão

 

Vendo sendo comentado na mídia nos últimos dias o risco que a falta de chuvas pode causar ao sistema elétrico, quando não chove, as usinas hidrelétricas ficam sem seu principal insumo, a água.

Parece um circulo vicioso, a falta de água obriga o governo a ativar as usinas térmicas para suprir as necessidades de energia elétrica das residências e empresas. O uso nas usinas térmicas, além de muito mais caro, emite gases do efeito estufa e geram além de energia, calor. Todos esses elementos contribuem para o aquecimento do planeta e consequentemente as mudanças climáticas, mais calor, menos chuvas etc. Voltando ao ponto inicial, onde o remédio pode estragar mais do que a doença.

E onde estamos nessa história? Somos os grandes consumidores de energia, não digo que devemos abdicar das conquistas modernas, ar condicionado, geladeira, iluminação, diversão, mas sim que utilizemos os recursos com eficiência.

Já foram postados aqui vários artigos sobre formas de se reduzir o consumo sem abrir mão do benefício, mudanças de procedimento, substituição de equipamentos por outros que consomem menos energia, desligar o que não está sendo utilizado e não superdimensionar as necessidades são apenas alguns exemplos.

O uso racional de energia não vai somente evitar um iminente racionamento, mas evitar a necessidade de mais usinas térmicas, evitar a necessidade por mais hidrelétricas, isso significa menos uso de gás, carvão, menos emissões de CO2, menos áreas alagadas, menos desmatamento, menos indígenas desapropriados.

Uma lâmpada ao ser apagada pode parecer algo insignificante se comparado ao universo de lâmpadas, mas um milhão de lâmpadas apagadas começam a fazer a diferença, faça você a diferença!

**********************************************

Renato Munhoz

21-9432-2321

sindicoeasyway@gmail.com

www.sindicoprofissionalrj.wordpress.com

Pense Global, aja localmente

Pense Global, aja localmente


Parece que as nossas pequenas ações nada mudarão a nossa relação com a sustentabilidade, mas como diz o ditado: “de grão em grão que a galinha enche o papo”; podemos sim fazer a diferença.

Certamente algumas dessas ações não terão efeito sentido no local onde você mora, mas por exemplo, a redução do consumo de energia elétrica, por menor que seja, se for adotado por muitos poderá se refletir em ganhos enormes.

As cidades estão consumindo mais energia do que nunca, é o custo da comodidade, podemos nos damos à esse luxo e muita coisa pode ser feita para minimizar esse impacto, algumas extremamente simples, sem comprometer o conforto.

O aumento do consumo nos faz ir atrás de cada vez mais fontes de energia, sejam limpas ou as teoricamente limpas como as hidreletricas, que dependem de desmatamento e alagamento de áreas.

 

Nesse ritmo precisaremos de quantas novas Belo Monte?

 

Pensando nisso, e tentando minimizar a nossa pegada no planeta, elaborei um conjunto de ações simples que podem parecer clichê, mas que se adotados em sua maior parte pela maioria das pessoas, poderemos começar a sentir algum efeito direto nas nossas vidas.

 

Dicas simples:

 

1. Valorize a luz natural, mantenha suas cortinas abertas.

2. Pinte as paredes de casa com cores claras e ecológicas.

 


3. Dê preferencia a comprar produtos fabricados e comercializados próximos de sua residência, nada contra os chineses, mas seus produtos são produzidos com matriz energética à base de carvão e o transporte emite toneladas de CO2.

 

4. Retire aparelhos e carregadores das tomadas quando não estiverem em uso.

5. Reduza o brilho do monitor do computador.

 


6. Evite o uso de lâmpadas incandescentes, prefira lâmpadas fluorescentes e de LED, compre lâmpadas de boa qualidade, lâmpadas muito baratas têm normalmente vida útil menor.

 

7. Use menos o carro, prefira a bicicleta, caminhadas e fazer compras nos mercados próximos, com uso de carrinhos e ecobags.

 

8. Faça uma pequena horta de temperos e ervas, dá vida à casa e produtos de qualidade garantida. http://planetasustentavel.abril.com.br/noticia/casa/conteudo_411077.shtml

 


9. Plante uma árvore, ahh não tem espaço e nem tempo? A SOS Mata Atlântica pode fazer isso por você através do www.clickarvore.com.br

 

****************************************

Renato Moreno Munhoz – 21-9432-2321

sindicoeasyway@gmail.com

http://www.twitter.com/c_sustentaveis

Educação Ambiental em condomínios

Educação Ambiental em condomínios

Por Aline Cristina Arruda

www.liarruda.wordpress.com

Moramos em uma cidade com 18 milhões de habitantes, uma das maiores metrópoles do mundo responsável por 33,9% do PIB Brasileiro, o maior centro comercial da América Latina.

A cidade de São Paulo, como a maioria das cidades brasileiras, cresceu sem planejamento e o tempo é algo precioso nessa cidade que não pára. Pensando em ações simples e rápidas para condomínios sustentáveis, pequenas ações para fazer a diferença.

Agir sustentavelmente é algo necessário para o desenvolvimento das cidades e do Planeta. O lixo é uma das maiores questões e pode ser reduzido com atitudes como coleta seletiva, minhocários. Atitudes como economia de energia e água e principalmente, o consumo são grande aliadas da sustentabilidade.

Falaremos de algumas ações que podem ser executadas por qualquer pessoa em qualquer moradia (casa, apartamento):

1.Coleta Seletiva: A coleta seletiva já faz parte da rotina de 59% da população paulista. A separação de reciclagem e não reciclável já faz parte da rotina de muitos paulistas. Algumas dúvidas sempre surgem, sendo abaixo segue uma tabela do Instituto Akatu esclarecendo o que recicla e o que não recicla.

Faço duas ressalvas a tabela acima. A primeira é em relação ao lixo eletrônico e lâmpadas. Ambos têm uma destinação diferente. Para a correta destinação do lixo eletrônico, verifique no site: http://www.e-lixo.org/. Tem um mapa de São Paulo com os locais de coleta. Vale ressaltar aqui que o descarte incorreto desses materiais pode ocasionar a poluição do solo, águas, etc.

Já as lâmpadas, o Supermercado Pão de Açúcar possui ponto de coleta. Lâmpadas, assim como eletrônicos são prejudiciais ao Meio Ambiente se descartada incorretamente.

Mais informações sobre o descarte de lixo doméstico: http://oquefazercomolixo-thi.blogspot.com/

A segunda é sobre o isopor. Isopor é reciclável e deve ser acondicionado junto com o plástico. Já temos empresas no mercado especializadas em reciclagem de isopor.

2.Minhocários: trata-se de caixas com minhocas, terra e húmus na qual se despeja o lixo orgânico e cobre com folhas secas. As minhocas realizam a decomposição dos resíduos e como resultado tem-se o chorume que é um excelente fertilizante para as plantas. Não tem cheiro nenhum. Moro em um apartamento e tenho o meu minhocário. Meu lixo reduziu consideravelmente.

A Morada da Floresta vende o minhocário pronto, e entrega em casa com manual de instrução e tudo. É só começar a usar: http://www.moradadafloresta.org.br/produtos-principal/minhocarios-domesticos

3.Economia de Energia e Água: diminuir o tempo de banho, desligar a torneira ao lavar a louça e ligar para enxaguar, evitar deixar as luzes ligadas durante o dia, os eletrodomésticos na tomada quando não estiverem em uso, são algumas atitudes que podem fazer a diferença.

4.Redução do Consumo: resíduo bom é resíduo não gerado. Pensar na hora de consumir, priorizar produtos que tenham menos embalagens, pensar antes de consumir, dar preferência a alimentos orgânicos (que além de sustentáveis por não usarem agrotóxicos e não poluírem o solo e o lençol freático, fazem muito bem a saúde), fazer compras em comércio próximos à sua residência valorizando o comércio local, usar mais transportes públicos e menos carro, etc. O Instituto Akatu tem diversas dicas relacionadas a Consumo Consciente até um manual. Moda já é sustentável, usam-se tecidos sustentáveis e resíduos de plástico e papel.

Mais informações: http://www.akatu.org.br/

Elevadores são ótimos lugares para folhetos informativos sobre reciclagem, composteiras, economia de energia e água. Se o seu condomínio tiver um jornalzinho vale a pena escrever sobre atitudes sustentáveis.

Educação Ambiental não é restrita a escola, a cursos, mas uma conversar com os amigos, com a família, ensinar seus filhos de uma forma divertida, explicar para as crianças a importância de cuidar das suas coisas, da casa, do bairro, da cidade e do mundo. Somos multiplicadores de opinião, idéias, valores.

Eu tento não ser a eco chata que sempre fica falando de meio ambiente, mas sempre que posso passo algum conhecimento para meus amigos, sobrinhos e família. Usar as redes sociais, os meios de comunicação (emails, jornais do condomínio) para educar.

E sem nunca esquecer das eleições, de conhecer os candidatos e seus planos de governo, e não só os cargos executivos mais os legislativos (Deputados e Senadores), pois são eles que criam e votam as nossas leis.

Eu acredito nas leis para solucionar problemas em curto prazo e Educação em longo prazo. Qualquer pessoa pode começar a qualquer momento. E não podemos deixar de cobrar ações de nossos governantes. De um em um, só em São Paulo somos 18 milhões.

Contribua você também com artigos, ideias e sugestões!

Condomínios Sustentáveis

condominiossustentaveis@gmail.com

Twitter: @c_sustentaveis

Manutenção dos Painéis Elétricos – Economia e Segurança

Em boa parte dos condomínios o desconhecimento sobre eletricidade e o funcionamento dos  painéis elétricos levam o administrador a ignorar a sua existência, uma vez  parecerem funcionar adequadamente.

O problema é que as cargas elétricas, principalmente as cargas mais pesadas dos elevadores e das bombas de água, ao encontrar resistência nas conexões, geram movimentação dos componentes e consequentemente afrouxam os parafusos.

Essas folgas nos componentes não somente aumentam o consumo de energia elétrica, que a principio seria o foco desse artigo, como também provoca mau funcionamento dos equipamentos elétricos em geral pela perda de tensão, em casos extremos os parafusos podem se soltar e causar um curto-circuito, as consequências podem ser desde o desligamento de uma chave até o início do foco de um incêndio.

Pelo fato de todo contato e conexão elétricos serem potencialmente propensos a defeitos, os painéis elétricos devem ser alvo de manutenção periódica.

A manutenção em quadros elétricos consiste em:

  • Reaperto e inspeção de conexões
  • Limpeza e organização
  • Medições de temperatura
  • Medições de grandezas elétricas

Além do reaperto, o painel elétrico necessita também ser organizado, tendo identificado seus componentes, a fim de evitar acidentes. Deve também ser protegido contra pessoas desavisadas, sendo identificado com símbolos e avisos adequados.

Normas técnicas:

  • NBR 5459 – Manobra e proteção de circuitos
  • NBR 5410 – Instalações elétricas de baixa tensão

Custo x beneficio
Por ser de difícil mensuração da redução de consumo e também ser uma importante ação de segurança, a manutenção dos painéis deve ser uma obrigação em todos os edifícios, comerciais e residenciais. Portanto nesse caso não cabe análise de custo x benefício.

Custo
O custo pode variar em diferentes localidades e depende da quantidade de quadros, tamanho e situação em que se encontram, cabe consultar uma empresa ou profissinal eletricista certificado para manutenção desse tipo de instalação.

Segurança
O eletricista normalmente terá que lidar com os barramentos energizados, então além de contar com um profissional com experiência comprovada, exija o uso dos EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) apropriados: luvas, botas e óculos de proteção.

condominiossustentaveis@gmail.com

%d blogueiros gostam disto: