Posts Tagged ‘segurança’

Mal Contato nas Conexões do Sistema Elétrico do Condomínio

Mal Contato nas Conexões do Sistema Elétrico do Condomínio

 

Já falamos antes sobre a importância da manutenção periódica dos painéis elétricos, porém não somente eses merecem a atenção dos síndicos. É importante que de tempos em tempos um profissional qualificado faça a revisão das instalações, assim como, todo cuidado deve ser tomado na hora de instalar equipamentos, aumentar ou remanejar cargas elétricas.


Geralmente, os problemas acontecem nos maiores consumidores de energia, esses podem sobrecarregar os sistemas, causar o aquecimento dos cabos e sem cuidados imediatos, além do aumento do consumo de energia causado pela resistência, podem ocasionar curto circuitos com graves consequências, que vão desde o simples desligamento dos disjuntores até aos incêndios e fatalidades.


Podemos citar como alguns dos grandes consumidores de energia em um condomínio os elevadores, bombas, chuveiros elétricos, aquecedores e aparelhos de ar condicionado.


Mal contato em circuitos elétricos podem ocorrer em qualquer ponto onde haja contato entre dois condutores, como emendas de fios, interruptores, tomadas, soquetes de lâmpada, etc.. Normalmente, é  provocado por uma fixação ou conexão inadequada.


As reações químicas aumentam com a elevação da temperatura. Os metais reagem com o oxigênio e formam óxidos que se depositam na superfície. Os óxidos (ferrugens) que se formam são isolantes, aumentando ainda mais a resistência elétrica no ponto de mal contato e, como em um círculo vicioso, a temperatura elevada acelera a oxidação.

Um mal contato em circuitos de alta corrente deve ser considerado crítico, o aquecimento e o processo de oxidação vai certamente atingir  o revestimento dos fios e os isolantes começam a se queimar.


O mal contato é um inimigo silencioso, já que não produz sobrecarga de corrente, e consequentemente, não desarma fusíveis ou disjuntores. Em sistemas sem revisão, a detecção sempre ocorre quando o pior acontece.


Em relação à segurança, o barato quase sempre sai caro, quando se contrata um profissional não qualificado, você acima de tudo, assume o risco pela vida dessa pessoa que não está apta a manusear sistemas elétricos energizados, depois coloca em risco o patrimônio do condomínio e em situação extrema, a vida dos moradores e funcionários.


Assim, fica a sugestão: síndicos, não economizem com segurança, precisando de indicações de profissionais qualificados no Rio de Janeiro, entrem em contato com Verônica pelo tel 21-8230-9618.

Renato Munhoz – 21-9432-2321

sindicoeasyway@gmail.com

condominiossustentaveis.wordpress.com

http://www.twitter.com/c_sustentaveis

Anúncios

Aquecedores de água à gás – O problema não é só do morador

Aquecedores de água à gás

Muitos aspectos podem ser abordados sobre os aquecedores, podemos tratar o consumo de gás, de água, descarte apropriado de materiais e segurança e por isso também deve ser uma preocupação do administrador do condomínio, além dos moradores.

O primeiro passo é a escolha de um equipamento classificado como de eficiência enérgética tipo A e contratar a instalação de um profissional capacitado, que garantirá o seu bom funcionamento e a segurança. Isso é o básico para qualquer aquecedor, existem diversos tipos no mercado, com diferentes caracteristicas e formas de acionamento.

Local de instalação

Em condomínios novos ou durante obras, quando possível é interessante a instalação dos aquecedores em local próximo de onde será o uso (chuveiro ou torneira), a água fria que está no cano e o tempo para aquecer provoca perda da água fria, além do fato de haverem perdas de calor durante o trajeto da água. Essa água pode ser coletada em baldes ou bombonas para rega de plantas ou despejo no vaso sanitário, a perda pode chegar de 10 a 15 litros por banho, em um grande condomínio isso se transforma em milhares de litros, no caso do meu condomínio são mais de 1.500 litros de água totalmente limpa perdidos todos os dias.

Existe no mercado um aquecedor para chuveiros adequado para banheiros com ótima circulação de ar, este elimina perdas de calor e por estar conectado direto ao chuveiro não desperdiça a água fria presente no cano.

Quase todos os problemas vêem depois da instalação do equipamento, que é a correta regulagem e manutenção, e é por isso que a revisão deve ser lembrada, cobrada ou contratada pelo condomínio e ocorrer de forma periódica.

Itens que devem ser verificados

  • Vazão da água – não coloque a vazão da água no máximo, sempre sairá mais água do que necessita, gerando desperdício.
  • Controle da chama dos queimadores – a regulagem muito alta da chama pode causar o desperdício tanto de gás quanto de água.

Imagine que o seu aquecedor aquece a água a uma temperatura superior aquela que você suporta, para isso você tem duas alternativas pouco sustentáveis, a primeira aumentar o fluxo da água com consequente redução da temperatura, mas com aumento de consumo de água, a segunda opção seria ligar a água fria, que misturada à quente a resfriaria, nesse caso você já gastou gás para aquece-la e depois teve que resfriá-la.

A solução é controlar a vazão do gás no registro, de modo a garantir que a quantidade de água seja suficiente e que a temperatura esteja ideal.

Hoje já existem aquecedores com sensores de temperatura que controlam a da chama e entregam a água na temperatura ideal, é o mais recomendado para quem pode gastar um pouco a mais.

  • Pilhas – grande parte dos aquecedores funcionam com pilhas, aqui estão dois problemas, o primeiro é a falta de troca periódica, as pilhas velhas retardam o acionamento da chama enquanto a água continua a correr, a demora no aquecimento da água gera desperdícios principalmente nos banhos. Nesse caso recomendo a troca das pilhas e o uso de pilhas alcalinas com maior capacidade e tempo de uso.

Descarte – Lembro que as pilhas NUNCA devem ser jogadas no lixo comum, elas possuem metais pesados altamente poluentes. Alguns lugares recolhem e reciclam as pilhas e baterias usadas, um exemplo é o Banco Santander.

Resumo de recomendações

  • Compra de equipamento eficiente
  • Instalação segura e em local próximo ao uso
  • Controle da vazão de gás e água
  • Troca periódica e descarte adequado das pilhas

 

condominiossustentaveis@gmail.com

Manutenção dos Painéis Elétricos – Economia e Segurança

Em boa parte dos condomínios o desconhecimento sobre eletricidade e o funcionamento dos  painéis elétricos levam o administrador a ignorar a sua existência, uma vez  parecerem funcionar adequadamente.

O problema é que as cargas elétricas, principalmente as cargas mais pesadas dos elevadores e das bombas de água, ao encontrar resistência nas conexões, geram movimentação dos componentes e consequentemente afrouxam os parafusos.

Essas folgas nos componentes não somente aumentam o consumo de energia elétrica, que a principio seria o foco desse artigo, como também provoca mau funcionamento dos equipamentos elétricos em geral pela perda de tensão, em casos extremos os parafusos podem se soltar e causar um curto-circuito, as consequências podem ser desde o desligamento de uma chave até o início do foco de um incêndio.

Pelo fato de todo contato e conexão elétricos serem potencialmente propensos a defeitos, os painéis elétricos devem ser alvo de manutenção periódica.

A manutenção em quadros elétricos consiste em:

  • Reaperto e inspeção de conexões
  • Limpeza e organização
  • Medições de temperatura
  • Medições de grandezas elétricas

Além do reaperto, o painel elétrico necessita também ser organizado, tendo identificado seus componentes, a fim de evitar acidentes. Deve também ser protegido contra pessoas desavisadas, sendo identificado com símbolos e avisos adequados.

Normas técnicas:

  • NBR 5459 – Manobra e proteção de circuitos
  • NBR 5410 – Instalações elétricas de baixa tensão

Custo x beneficio
Por ser de difícil mensuração da redução de consumo e também ser uma importante ação de segurança, a manutenção dos painéis deve ser uma obrigação em todos os edifícios, comerciais e residenciais. Portanto nesse caso não cabe análise de custo x benefício.

Custo
O custo pode variar em diferentes localidades e depende da quantidade de quadros, tamanho e situação em que se encontram, cabe consultar uma empresa ou profissinal eletricista certificado para manutenção desse tipo de instalação.

Segurança
O eletricista normalmente terá que lidar com os barramentos energizados, então além de contar com um profissional com experiência comprovada, exija o uso dos EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) apropriados: luvas, botas e óculos de proteção.

condominiossustentaveis@gmail.com

%d blogueiros gostam disto: